19 de abril de 2010

Expressão de louvor – para ministros de louvor






Expressão de louvor – para ministros de louvor (dirigentes e instrumentistas).

Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade. João 4:23 e 24.

Olá pessoal, resolvi escrever um pouco sobre o que eu penso à respeito de nossas expressões enquanto louvamos ao Senhor, por isso, agradeço desde agora pela sua disposição em ler esse post.

Tenho observado, não somente o meu, mas alguns ministérios de louvor que conheço pessoalmente e outros que são bem conhecidos nacionalmente e internacionalmente também, sobre como os integrantes expressam sua adoração enquanto ministram, cantam ou tocam seus instrumentos. Nossa base é a Palavra do próprio Deus e ela nos diz que Deus, o Senhor, está à procura de verdadeiros adoradores que o adorem em espírito e em verdade.

Não existe nenhuma intenção de julgar a forma como expressamos a nossa adoração a Deus, porque o SENHOR não vê como vê o homem, pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o SENHOR olha para o coração I Sm 16: 7.

Há, porém uma necessidade de nos auto-avaliar, pois, se fazemos para Deus, então, como é que esse Deus espera que façamos? Já pensou nisso? Porque há essa necessidade de avaliar nossa postura no altar?

Bem, penso que nossas expressões demonstram também para as pessoas o que o que nos impulsiona a estar ali no altar. Nossa motivação. Precisamos ser realistas e reconhecer que existem os que estão ali para serem vistos e os que estão ali para mostrar a quem deve ser visto (Jesus). Acredite, há muita diferença!!!

Existem os que sobem ao altar e expressam sua adoração, cultuam de fato ao Senhor como um membro da igreja, como um servo, que entende sua condição diante de Deus e existe aquele que está no altar como se estivesse ligado no automático, executando uma música pura e simplesmente, explorando todos os seus limites técnicos, preocupando-se em não fugir do campo harmônico ou não errar as entradas, viradas, desafinar e alcançar notas desafiadoras e tudo o mais. Entenda, buscar a qualidade técnica não é errado, desde que não seja o centro das suas atenções. É uma coisa tão intrínseca na nossa geração de músicos que há os que ficam extremamente aborrecidos se erram ou se algum colega erra na hora da execução musical. Há os que ficam impedidos de adorar e se alegrar na presença de Deus, pelo simples fato de determinado local não estar preparado acusticamente, ou não ter estrutura adequada para tocar, isso simplesmente o impede de adorar. Buscamos a perfeição na execução da música, mas não nos preocupamos com nossa perfeição em Cristo, fruto de uma vida entregue e obediente à vontade de Deus. Preciso admitir que já houve tempo em minha vida ministerial, que já me senti assim, sobretudo em locais que não estavam adequados tecnicamente para eu cantar, graças a Deus, o amadurecimento chega para todos nós e já há muito tempo não considero isso importante.

Precisamos encontrar prazer em estar na presença de Deus, de ver a sua glória e de nos entregarmos na adoração a ele independente de nossos recursos.

Dia desses fui abordada com comentários de um irmão ao final do culto sobre como é que ele, e (segundo ele) a igreja “percebe” nossas expressões e como isso os afeta, os motiva ou desmotiva. Após ouvir inúmeras críticas do irmão e algumas bem infundadas, com toda paciência do mundo, saí da igreja e não posso mentir, num primeiro momento fiquei aborrecida com a "sentença" do tal irmão, mas aí, o Espírito Santo me levou a refletir sobre a crítica e analisá-la sem levar para o lado pessoal, sabe, tipo absorver o que realmente tem fundamento e então resolvi que era necessário expor a crítica diante de Deus e fui buscar na Palavra resposta para isso.

E acreditem, as pessoas percebem mesmo se estamos ou não ligados no trono. Há aqueles que demonstram pouca ou nenhuma expressão em seus rostos ou corpo e há os que exageram também. Precisamos encontrar o equilíbrio.

O nosso manual (Bíblia) aponta algumas referências a expressões de louvor e adoração e encontrei alguns exemplos que gostaria de compartilhar aqui:

· Então inclinou-se aquele homem e adorou ao SENHOR. Gn 24:26
· E Moisés apressou-se, e inclinou a cabeça à terra, adorou. Ex 34:8
· O, vinde, adoremos e prostremo-nos; ajoelhemos diante do SENHOR que nos criou. Sl 95:6


Era assim que Deus gostava de ser adorado e ainda é. Quantas vezes nos sentimos altivos, capazes e auto-suficientes naquilo que nós fazemos quando tocamos ou cantamos? Quando vamos ministrar, o que falamos vem de nós ou é inspirado pelo Espírito de Deus?

A presença de Deus deve sempre levá-lo a se prostrar, com rosto em terra, humilhado mesmo, como reconhecimento daquilo que Deus é na sua vida e fez por você. Quando ministramos devemos compreender que é nossa oportunidade de preparar os corações para receber a Palavra, não é para dar de você, mas de Deus!!! Deus quer te usar.

E pôs alguns dos levitas por ministros perante a arca do SENHOR; isto para recordarem, e louvarem, e celebrarem ao SENHOR Deus de Israel. Louvai ao SENHOR, invocai o seu nome, fazei conhecidas as suas obras entre os povos. Cantai-lhe, salmodiai-lhe, atentamente falai de todas as suas maravilhas. Gloriai-vos no seu santo nome; alegre-se o coração dos que buscam ao SENHOR. Buscai ao SENHOR e a sua força; buscai a sua face continuamente. Lembrai-vos das maravilhas que fez, de seus prodígios, e dos juízos da sua boca; Vós, semente de Israel, seus servos, vós, filhos de Jacó, seus escolhidos. (Cr 16)

Deus nos escolheu, nos separou para sermos canal e exemplo para o povo. Davi, homem segundo o coração de Deus era um exemplo na adoração, na forma de adorar. O povo aprendeu a fazer isso vendo como ele fazia e tantos outros antes e depois dele, como nós!

Vivemos em uma geração que se preocupa com "caras e bocas", em aparentar ser tudo, menos aquilo que realmente devemos ser diante dos homens e de Deus, mas devemos voltar ao primeiro amor e entender que adorar a Deus vai além das aparências, mas é obedecê-lo, é submeter-se à sua vontade, é seguir o padrão de Deus para nossa vida de adoração.

Peço em espírito de oração que da mesma forma que Deus falou comigo, sobre com devo adorá-lo, que Ele fale com você e o ensine a expressar sua adoração a Deus no momento do louvor. Seu instrumento não deve impedir você de glorificar a Deus, mas para com ele, adorá-lo e levar muitos a fazê-lo. Também não deve soar falso, pois nossos exemplos são os homens de Deus na bíblia, não os artistas famosos que muitas vezes nos influenciam de forma negativa, nos levando a imitá-los como se fôssemos papagaios de pirata, fala sério, seja autêntico imitador de Cristo!
Deus quer receber a sua adoração pura e simplesmente verdadeira do jeito que você é ou deve ser.
Que Deus nos use!!!

Digno és, Senhor, de receber glória, e honra, e poder; porque tu criaste todas as coisas, e por tua vontade são e foram criadas. Ap 4:11
Luciana Reis
Min. Louvor em Colorado.

5 comentários:

  1. Em meio a tanta confusão e engano na terra, há somente um Deus e um povo santo levantado por Ele, comprometido com a verdadeira adoração, que não sofrerá nenhuma influencia maligna, porque o Senhor é poderoso para guardá-lo de tropeçar e apresentá-lo sem mácula diante de Sua glória(Judas 1.24-25).
    Para fazer parte desse povo santo é preciso deixar todo o eu, é necessário que haja arrependimento das motivações erradas. É preciso nascer de novo, ganhar um novo coração e ser cheio do Espirito Santo de Deus. E seguirmos voltados para Jesus o único que é digno de toda horra e louvor!

    Gingriany Mendes

    ResponderExcluir
  2. Oi Lu,

    Concordo com você... Devemos nos esmerar em fazer pra Deus o melhor, porque Ele requer isso de nós, mas não podemos deixar os contratempos tirarem a nossa comunhão com Ele!

    Devemos adorar a Deus, não importam as circunstâncias, e isso inclui problemas no som, arranjos que não ficaram perfeitos, etc!

    Bjs e fique com Deus!

    ResponderExcluir
  3. É isso aí minha amada... obrigada por comentar..
    Bjs e fique com Deus!

    ResponderExcluir
  4. Oi, miga!

    Sabe, Lu, infelizmente orgulho, autopromoção e vaidade estão sempre motivando as pessoas, seja qual for sua área de atuação. Mas quando Jesus, e somente Ele, for o centro de toda nossa adoração, louvor, obediência, reconhecimento, glória, honra e tudo o mais quanto é do seu merecimento, palma ou quietude, cenho franzido ou não, mão erguida ou abaixada, coisas desse tipo deixarão de ter a importância exagerada que dão a elas.
    Só não podemos esquecer que os religiosos estão sempre por aí dando os seus pitacos. Eles já estavam desde o tempo de Cristo e merecem ser tratados como o mestre os tratou.

    Bjo!

    ResponderExcluir
  5. Oi Celinha,
    Que saudades amiga, nossa! Muita mesmo.
    Olha, concordo com você e fiquei muito feliz pela sua colaboração aqui. Na verdade, estava mesmo esperando a sua opinião à esse respeito.
    Te amo demais garotinhaaaaaa

    ResponderExcluir